Direito Imobiliário: Despejo por falta de pagamento pelo Novo CPC

despejo pagamento
Direito Imobiliário: Despejo por falta de pagamento pelo Novo CPC
Avalie esse post

A principal obrigação firmada entre locador e locatário é, sem dúvida, o pagamento dos aluguéis. Por outro lado, o descumprimento dessa obrigação é o maior entrave para o mercado de aluguéis de imóveis.

O chamado “calote” geralmente leva ao pedido de despejo, ou seja, uma ação específica que o locador se utiliza para a retomada do imóvel.

Junto com o despejo, vem a cobrança dos aluguéis atrasados.

 

O Novo Código de Processo Civil (NCPC) – Lei nº. 13.105, de 16.3.2015, simplificou e tornou mais rápido o processo de despejo.

Proprietários levavam até dois anos para o despejo dos inquilinos inadimplentes. Antes, o inquilino que deixava de pagar o aluguel precisava ser notificado duas vezes antes de ser despejado.

No caso do despejo por falta de pagamento – falamos já sobre o assunto nesse artigo, a principal mudança com o NCPC é em relação à rapidez das ações. Por exemplo, publicada a sentença, cabe apelação sem efeito suspensivo.

Anteriormente, era preciso aguardar 15 dias para que a apelação fosse interposta e, dependendo da Vara ou Comarca, cerca de um ano até que o juiz declarasse ter recebido a apelação.

Agora, o advogado do locador já poderá postular a execução provisória no dia seguinte à publicação da sentença.

 

Outras mudanças importantes:

1 – Tutela de evidência

A influência no NCPC pode ser percebida nas questões de tutela.

No caso do locatário não reunir documentos suficientes para contestar a ação de despejo, caberá ao juiz conceder a tutela da evidência. O que implica em despejar primeiro, para depois colher as provas do locatário.

A tutela de evidência exige uma existência de probabilidade que o locador tenha razão, associada à existência de algum dos casos que a lei prevê como sendo da tutela da evidência.

 

2 – Ação Monitória no Despejo

Outra mudança foi em relação à possibilidade de propor o despejo por ação monitória. Anteriormente, esse procedimento só poderia ser utilizado para cobrar dinheiro ou entrega de coisa móvel do locatário.

 

Agora, além das hipóteses mencionadas, o locador poderá ainda exigir a entrega de coisa imóvel ou o cumprimento de ações de fazer ou não fazer.

 

No caso da ação de despejo por denúncia vazia, por exemplo, bastará ao advogado do locador juntar a cópia do contrato de locação e a cópia da notificação recebida pelo locatário, com pelo menos 30 dias, para já ter prova suficiente de que já é seu direito a retomada do imóvel.

 

O locatário terá 15 dias para cumprir a obrigação de entregar o imóvel. Se ele deixar passar o prazo, a execução será definitiva.

 

Caso ele cumpra a obrigação, ficará isento de custas e paga honorários de 5% sobre o valor da causa. Isso não deixa de ser um estímulo para a entrega rápida do imóvel.

 

Com o novo NCPC, a ação de despejo teve uma melhora operacional. Anteriormente, o despejo se alongava demais. Hoje, o advogado já consegue êxito numa ação de despejo em até 3 meses.

 

Antes, havia necessidade de dois mandatos. Hoje, apenas um.

 

O que o locatário deverá fazer para evitar o despejo? Pontualidade no pagamento é primordial.

De qualquer forma, é necessário um advogado especialista em Direito Imobiliário para fazer um contrato bem estruturado entre as partes, no qual prevê direitos, obrigações e deveres.

 

Portanto, o advogado que pretende atuar no setor imobiliário necessita se especializar sobre a nova lei do inquilinato e demais questões pertinentes ao setor que possam gerar dúvidas e disputas judiciais.

 

Como faço para me manter atualizado sobre Direito Imobiliário?

O mercado imobiliário é bastante crítico, cheio de normas. O Brasil tem pelo menos 3 milhões de imóveis desocupados e um déficit de mais de 6 milhões de moradias.

 

Diante desse cenário complexo, o advogado especialista em Direito Imobiliário acaba sendo de extrema importância na sociedade atual.

 

Não só advogados, mas corretores e demais profissionais que trabalham no mercado imobiliário necessitam atualização constante sobre essas mudanças do setor.

 

Uma das formas de manter-se atualizado é realizar uma pós-graduação à distância em Direito Imobiliário Aplicado.

 

Existem inúmeros cursos sobre o tema, por isso, convém dedicar um tempo para pesquisar aquele que se enquadra melhor no seu perfil.

 

Na EPD online, por exemplo, o aluno tem a opção de fazer a especialização em casa ou nas pausas do trabalho. Tudo sem comprometer a vida pessoal e profissional.

 

O curso tem duração de 18 meses e traz em seu programa:

 

  • Propriedade, Posse, Direitos reais sobre coisas alheias e Negócios Jurídicos Imobiliários;
  • Parcelamento do solo, Condomínio e Incorporações. Contratos e Financiamentos Imobiliários;
  • Locação de Imóveis e Comercial: Aspectos Materiais e Processuais;
  • Arbitragem no Direito Imobiliário;
  • Metodologia da Pesquisa Científica;
  • Didática Superior.

 

Coordenado pelo autor e professor Luiz Antonio Scavone Junior, o aluno terá uma visão especializada do Direito Imobiliário voltado para a prática, sem perder de vista os aspectos relevantes da legislação, principalmente do Código Civil, além dos aspectos atuais e polêmicos ligados à matéria.

 

Scavone também é autor do livro “Direito Imobiliário – Teoria e Prática”, que é fornecido como parte do material didático aos alunos do curso.

 

A EPD online oferece ainda cursos Latu Sensu em diversas áreas do Direito.

 

Todos eles são credenciados pelo MEC: Direito Corporativo e Compliance, Direito Penal e Processual Penal, Direito Processual Civil, Direito Constitucional e Administrativo, Direito Previdenciário, Direito Municipal, Direito Empresarial, Direito e Processo Tributário, Direito e Processo do Trabalho e o MBA em Gestão Pública: Políticas e Gestão Governamental.

A EPD online oferece ainda cursos de atualização profissional, ou seja, de média duração e cursos de extensão (curta duração), utilizando a melhor plataforma de ensino à distância do Brasil – tecnologia da IOB Concursos Marcato.

O aluno não precisa esperar formar uma turma para começar os seus estudos, basta escolher entre os cursos oferecidos.

Que tal começar agora mesmo uma especialização e tornar-se um profissional da área imobiliária especializado? Não perca mais tempo e matricule-se já!

 

pós graduação grátis

 

Daniel Fernandes

Daniel Fernandes

Advogado e Marketing Jurídico - Colunista no Blog do EPD Online.
Daniel Fernandes
Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *