Qual Área Jurídica o Graduado em Direito Pode Atuar

área jurídica
Qual Área Jurídica o Graduado em Direito Pode Atuar
Avalie esse post

Muitas pessoas têm dificuldade em escolher qual curso de especialização em direito deseja fazer, é uma fase complicada onde há uma infinidade de cursos, de diversos segmentos. Contudo, se você está lendo esse conteúdo, podemos considerar que já tomou sua decisão e está concluindo o curso de direito ou ingressando na área jurídica.

 

A área de advocacia cresce a cada ano e, consequentemente, aumenta o número de profissionais e, claro, a concorrência no mercado. Mas, felizmente, existem muitos ramos na área do direito para atuar.

 

Leia também: O que você precisa saber para escolher sua área no Direito

 

Nesse artigo, apresentaremos algumas das principais áreas de atuação para o graduado em Direito e os requisitos para conquistá-la.

 

Conheça os setores onde o graduado na área jurídica pode atuar

 

1) Acadêmica

 

O profissional de Direito poderá atuar na área acadêmica, ministrando aulas para o ensino superior, em faculdade/universidades públicas ou particulares, como professor ou como tutor dos alunos. Além de poder ministrar aulas em cursos preparatórios para concursos ou para o exame da ordem.

 

Requisitos: resumidamente, para se qualificar ao cargo acadêmico o profissional deverá continuar seus estudos por meio do mestrado, doutorado e, preferencialmente, pós-doutorado.

 

2) Judicial

 

Uma das carreiras mais desejadas pelos estudantes, a magistratura é uma das mais complexas, afinal sua função é julgar as demandas judiciais; prevenir e reprimir atos contrários à dignidade humana e à justiça, por meio de um acordo entre as partes envolvidas no processo.

 

É responsabilidade do juiz decidir qual parte agiu de acordo com as leis e os costumes da nação, bem como quem é o culpado no processo julgado. Ou seja, os juízes da justiça comum são responsáveis por julgar os conflitos de pessoas físicas, jurídicas e também o poder público.

 

Requisitos: para se tornar um juiz é necessário que o profissional seja graduado em Direito e concursado, seja aprovado em concursos públicos de provas e títulos, com participação da OAB em cada uma das fases e ter experiência mínima de 03 anos na área jurídica.

 

3) Promotoria

 

Se a magistratura é uma das áreas mais cobiçadas, a promotoria não fica para trás.  A promotoria nada mais é do que um cargo público, contratado por meio do Ministério Público e que pode atuar  em diversas esferas do Direito, sendo o promotor o responsável por defender os interesses do Estado.

 

Requisitos: para alcançar esse cargo é necessário que o profissional seja aprovado no concurso público, também de provas e títulos.

 

4) Procuradoria de Justiça

 

O procurador possui um cargo hierarquicamente maior do que o promotor. Sua atuação ocorre em um órgão superior dentro do próprio Ministério Público Estadual e a função exercida é a mesma do promotor, ou seja, defender os interesses do Estado.

 

O profissional atua nas Câmaras Cíveis e Criminais, conduzindo inquéritos para investigação de suspeitas de crimes ou no papel de fiscalizar ações ajuizadas por terceiros.

 

Requisitos: para ser um procurador é necessário que o profissional seja graduado em Direito, esteja com o cadastro ativo na OAB e aprovado no concurso público, além de ester experiência de no mínimo 02 anos na área jurídica.

 

5) Desembargadoria

 

O Desembargador é um título concedido a um juiz por uma série de requisitos prestados. O profissional é um membro do Tribunal de Justiça ou Tribunal Regional com a responsabilidade de julgar a decisão de juízes mais novos quando o julgado não estiver satisfeito com a sentença obtida no tribunal.

 

É importante salientar que suas decisões, conhecidas como acórdãos, envolvem crimes comuns, como, por exemplo, habeas corpus concedidos ou negados e também crimes de membros do Ministério do Trabalho.

 

Requisitos: diferente dos juízes comuns que precisam passar por um concurso público, o desembargador recebe o título por indicação ou nomeação por merecimento e na maioria das vezes, o desembargador atua como advogado ou membro do Ministério Público antes de ser indicado ao cargo.

 

6) Defensoria Pública

 

Se você tem interesse em contribuir com seus serviços para prestar auxílio e solidariedade às pessoas carentes, a defensoria pública poderá ser ideal para seus interesses.

 

O defensor público defende os cidadãos que, por motivos financeiros, não podem pagar por uma assessoria jurídica. Apesar de ser um funcionário público, o defensor atende somente às necessidades e dificuldades do seu cliente – e não do município, estado ou país.

 

Por esta razão ele poderá ser um procurador municipal, estadual ou federal e, assim, representar os interesses de cada âmbito.

 

Requisitos: para alcançar esse cargo, o profissional deverá ser graduado em Direito e ser aprovado em concurso público de provas e títulos, sem contar que deverá comprovar sua experiência em advocacia.

 

E você? Já sabe qual área deseja seguir caso não tenha interesse em seguir na advocacia? Independentemente da área escolhida, saiba que o profissional graduado em Direito não poderá parar seus estudos, sempre se reciclando e buscando novos conhecimentos para se destacar no mercado em que for atuar.

 

Editorial EPD Online

Editorial EPD Online

A Escola Paulista de #Direito 🎓- EPD - oferece cursos de pós-graduação, atualização, desenvolvimento acadêmico e profissional.
Editorial EPD Online

Últimos posts por Editorial EPD Online (exibir todos)

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *